COMO EU EXPLICO ISSO?





Imagine que ao encomendar uma roupa azul, você receba uma preta, bem no dia que um membro da sua família faleceu.

Você já notou coincidências significativas na sua vida? Elas seriam obra do acaso, das leis da física, aleatórias e sem explicação?

Agora imagine que você viu um carro bater no momento em que assoava o nariz.

Essa seria uma coincidência significativa?

Simultaneidade pode ser definida como as coisas que ocorrem no mesmo momento, sem que haja uma razão para que isso seja identificável.

A física não leva em conta eventos sobrenaturais, mas exclusivamente naturais.

Relata que a sincronicidade estaria relacionada com as coisas que se juntam ao mesmo tempo, em razão de uma absoluta situação casual e não de uma coincidência propositada.

Mas a ideia de coincidência encontra uma percepção um pouco sobrenatural, a de que haveria forças externas a nós, que fazem com que as coisas aconteçam ao mesmo tempo.

Ao discorrer sobre alguns fatos observados, que não podem ser compreendidos mediante o princípio da causalidade, Carl Gustav Jung, Psiquiatra Suíço, demonstrou a existência de conexões entre os conhecimentos da física e da Psicologia Analítica, que ele fundou.

Jung chamou de sincronicidade a ideia de que pode haver uma coincidência ou congruência entre os estados internos e psicológicos, e os eventos externos.

Isso quer dizer que, as coisas que ocorreram ao mesmo tempo, é porque houve uma inclinação ou já havia “algo escrito”.

Assim, Jung definia os acontecimentos que não possuíam relacionamento causal como relações de significado.

No livro dele, “o homem e seus símbolos”, sincronicidade seria uma coincidência significativa entre o que ocorre dentro e fora de você.

Essa palavra “significativa” é importante, visto que, retomando os exemplos anteriores, se eu vejo um carro bater, enquanto eu estou assoando meu nariz, não há significado nenhum, pois não consigo relacionar as duas coisas.

Agora, se eu encomendo uma roupa azul e ao invés desta, eu recebo uma roupa preta, bem no dia em que alguém da minha família morre, essa é uma coincidência significativa!

Esse último exemplo, não possui relação alguma de causa e efeito, mas eles estão conectados, graças ao significado de luto que a nossa cultura estabelece para o preto.

Quando Jung observava essas coincidências significativas, nos sonhos dos seus pacientes, ele percebia que algo era ativado no inconsciente das pessoas.

Então, eu te questiono: se uma noite antes de receber aquela roupa preta, por engano, a pessoa tivesse sonhado com imagens relacionadas à morte, o que isso significaria para você?

É possível inferir, uma percepção de que algo relacionado com o final da vida estava se manifestando, sincronicamente, numa realidade interna e outra externa.

Quando entendemos que alguns tipos de eventos podem acontecer em conjunto, a ciência, física e até a engenharia podem explicar. Mas seriam todos os episódios?

E os acontecimentos significativos, como o ilustrado nesse texto, como podemos explicá-los?

Você sabia, que os textos chineses clássicos não querem saber o que causa o quê? Estes estão mais interessados em identificar as coincidências significativas que possuem mais chances de se repetir.

Qual será a razão disso?

E diante do que foi proposto nessas linhas, qual seria sua “teoria” para explicar essas coincidências significativas? Isso te interessa?

Obviamente, algumas pessoas observarão a ciência como ciência e outros, a crença como crença, visto que, elas não necessariamente se excluem, mas também não significam a mesma coisa.

No entanto, independentemente da sua resposta à pergunta anterior, o importante a frisar é: esses tipos de eventos podem acontecer em qualquer lugar e em qualquer momento.

E se isso ocorrer, fique atento para refletir sobre esses acontecimentos, pois eles podem te ajudar mais do que você imagina.

Quer mais exemplos?

Já pensou em algo e depois aquilo aconteceu? Estar no lugar certo, na hora certa. Pensar na pessoa e receber uma ligação dela na mesma hora.

Um alinhamento estranho entre datas de nascimento entre amigos. Eu conheço um grupo assim! O problema é que eles nunca pensaram sobre isso.

Enfim, o propósito desse artigo é alertá-lo para “ficar de olho” nesses acontecimentos. Para que você possa refletir, na possibilidade de elaborar algum significado ou insight.

Assim, ao se deparar com dois ou mais eventos que ocorram simultaneamente, tente observar uma conexão significativa entre o seu mundo subjetivo e o objetivo.

As respostas poderão ser surpreendentes e quem sabe transforme a sua vida de alguma forma.

Está se perguntando se é possível?

A análise de aspectos relacionados a uma mente inconsciente, a harmonia de energia, a lei da atração e habilidades psíquicas podem sugerir um caminho.

Como? Olhe para dentro, sintonize seu corpo, encontre padrões, explore os símbolos, escute seus sonhos e decifre eles…

Como venho ressaltando, a conexão é sua! Assim sendo, ouça seu instinto, pois a ciência não explica tudo.

E quando não explica, o ar é de "Chicó" (Lembra dele? Do filme Auto da Compadecida): “não sei, só sei que foi assim!”.

Será dessa forma, seu pensamento também?



205 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

E SE...