O QUE VOCÊ QUER MUDAR NA SUA VIDA?


Você já perdeu a esperança de modificar a sua vida? Sugiro a leitura desse texto.

Mudar é uma das complicações do ser humano, porque produz um desequilíbrio momentâneo. E quando a gente opta por mudanças, essa falta de equilíbrio fica mais nítida.

Você já observou uma criança dando os primeiros passos?

Não tem receita, é algo que ela precisa fazer sozinha, e só vai ter sucesso se perder o medo de cair. Em algum momento ela supera esse medo e entende que faz parte do processo.

Você já foi criança? Então, por que hoje tem medo de cair?

Mudar produz uma tensão e o ser humano foge disso. Logo, resistir à mudança é algo muito mais cômodo.

E optando pela inércia, algumas consequências são visíveis, como: perda de tempo, energia, dinheiro, motivação…

O que você deve mudar e o que deve manter na sua vida?

Para existir a mudança é inevitável a tensão. E a melhor forma para que isso ocorra é quando há uma aprendizagem contínua.

Já tentou aprender algo novo?

Podemos ser tentados a pensar que sabemos tudo a nosso respeito. Mas se sabemos tanto, por que a resistência à mudança é considerada uma das principais barreiras?

As mudanças só ocorrem quando uma força supera a outra em intensidade, deslocando o equilíbrio para um novo patamar.

“Eu sou muito egoísta, mas estou aprendendo a compartilhar.”

É necessário que você se prepare para qualquer tipo de mudança e uma avaliação precisa pode não ser intuitiva nem óbvia, mas requer: participação e envolvimento.

O certo é que o ser humano é capaz de deixar de ser de um modo, para ser de outro. Você tem essa liberdade?

Para nós é desesperador a ausência de liberdade. Basta observarmos que conseguimos fugir das cavernas para conquistar o mundo.

Com isso o ser humano foi capaz de dizer “não” para o ambiente fechado e escuro, e de comprovar que existem possibilidades.

E se assim não fosse, nas cavernas estaríamos. Mas alguém alertou para a importância da descoberta.

Quem será que refletiu com o texto daquela época e logo após resolveu agir?

Qual a “caverna” que você se encontra hoje?

Quem te inspira para que você possa atingir a sua transformação?

Cristóvão Colombo, navegador europeu, partiu sem saber onde ia chegar e quando chegou, não sabia onde estava.

Sabe qual foi o resultado? Morreu pobre, sem saber qual o continente que ele descobriu. Esse continente não levou seu nome e muitos duvidaram da sua descoberta.

Ele pode até não ter descoberto a América, pois já haviam milhões de nativos no continente, mas muitos o descobriram.

E você, prefere descobrir a si mesmo ou espera ser descoberto por alguém?

Existem pessoas que preferem sair navegando, sem saber em que lugar vai dar. Assim como, há quem prefira questionar o roteiro da sua navegação.

Qual é a sua opção?

A professora perguntou ao aluno:

“Quem foi e o que fez Ayrton Senna?”

O aluno respondeu:

“Foi um grande piloto de fórmula 1, tricampeão mundial e fez o que pode.”

E você, faz o que pode para alcançar seu objetivo?

Se você não fizer hoje o que pode ser feito, dificilmente fará amanhã, porque as condições se alteram.

A esperança não pode ficar em apuros. A sua esperança deve se apegar ao verbo esperançar e não esperar.

“Eu espero que dê certo!” “Eu espero que melhore!” “Eu espero que se resolva logo”.

Isso não é esperança, é esperar!

Esperançar é ir atrás, é alcançar, é buscar…

Ficou tenso com esse significado?

Ótimo!

Isso é um grande sinal que você pode chegar lá. Afinal, já aprendemos que precisamos da tensão para mudar o que precisa ser mudado, independentemente do seu objetivo.

Se você quer dinheiro, tudo bem! Se quer essência, que mal tem?

Albert Schweitzer, filósofo alemão, afirmou: “A tragédia não é quando um homem morre. A tragédia é o que morre dentro de um homem quando ele ainda está vivo.”

Se você ainda vive, por que sobrevive?

Há esperança!

“Quando?”

Hoje!

“Pode ser amanhã?”

Não seria esperar?

E agora, você tem esperança em mudar o quê?

144 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo