COMO VOCÊ ENXERGA AS COISAS? SUA VISÃO TE ATRASA OU TE LEVA PRA FRENTE?


Você conhece alguém que se propõe a ver o mundo de uma forma diferente, sem que as emoções gerem a si mesmo resultados perturbadores?

O estoicismo é uma concepção filosófica que nasceu na Grécia Antiga, um dos seus representantes pioneiros foi Zenão de Cítio.

Ela remete à ideia de aceitar a condição de que a vida traz turbulências e eventos que não podemos controlar.

É, simples assim!

Uma pessoa estoica vive conforme os desígnios que a vida proporciona, mas não de maneira conformada, e sim serena.

Ela tem a noção que a vida traz atribuições, alegrias, dores, infernos e paraísos. E assim, ela se prepara para viver cada momento sem focar nas perturbações.

Possui a consciência de que não adianta se rebelar contra situações que não se tem controle, como a morte de um ente querido, por exemplo. E isso requer muita sabedoria!

Nessa concepção a pessoa vive de acordo com o que a vida apresenta, o que se encontra na sua rota, mas sem se tornar acomodada.

Ela aceita o que tem que ser aceito, já que não pode mudar por sua vontade. Não se revela de forma furiosa, irritada ou perturbada com as condições que são incontroláveis.

E sabendo que não se tem o que fazer, em certas ocasiões, vive esse modo de ser, isto é, focado apenas no que é possível controlar.

Dessa forma, vive uma vida melhor, reduzindo a ansiedade, o estresse, sabendo lidar com a insegurança e outros sentimentos negativos. Esse é o objetivo da atitude estoica.

Essa corrente filosófica foi muito questionada, pois para seus opositores ela pregava o comodismo, a aniquilação dos sentimentos e o domínio absoluto da razão sobre as paixões.

Mas viver de uma forma mais serena, consciente de que existem coisas que não podem ser mudadas, é ser mesmo acomodado?

Sabemos que sustentar uma “vida estoica” não é tarefa fácil, pois significa assumir a responsabilidade do que se pode controlar, e não admitir que situações incontroláveis possam lhe tirar do sério.

É por meio desse pensamento que o estoico persegue o ideal do Sábio, fundamentando essa ação num movimento de se autopreservar e viver segundo a sua natureza.

Quem sabe a hora que vai morrer? Quem manda no clima? Quem controla as pragas?

Assim, entendendo essa filosofia de vida, ele dificulta o vício, que se baseia na ignorância e passa a compreender as coisas como elas são, e não como deseja que sejam.

Então o Sábio não possui paixões? É apático, duro e sem alma?

Sua principal característica está relacionada a movimentos racionais da alma, ao contrário da paixão, onde o movimento é irracional.

Ele não é um sujeito vazio, duro e apático, mas possui conhecimento da sua natureza e se vale desse princípio para se preservar, escolhendo a razão como ferramenta natural para alcançar uma vida feliz.

O Sábio não busca a eliminação de movimentos da alma, como pode parecer numa leitura mais distraída desse texto.

Seu foco está em não exercer movimentos contrários à natureza, aqueles que são irracionais, buscando que a razão o leve à virtude, à felicidade e à liberdade.

Portanto, a filosofia estoica acreditava que as paixões interferem na nossa capacidade de lidar, razoavelmente, com as condições existentes que não podem sofrer alterações.

E sabendo que nada pode fazer diante de tal realidade, leva a vida de forma mais serena. Isso é ser estoico no sentido filosófico.

Epiteto, filósofo grego estoico, registrou: “Ocupe-se apenas do que pode controlar.”

Que tal?

182 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A VAIDADE