top of page

COMO EVITAR UM SUICÍDIO?


Você conhece os sinais de quem deseja romper com a vida? E as formas de prevenção?

Por isso, não podia me furtar desse tema, independentemente do mês, e falar para você sobre as formas de prevenção, assim como mostrar quais são os sinais que você pode observar para evitar o pior.

O setembro amarelo é uma campanha criada em 2014 com o intuito de ajudar a prevenir casos de depressão e suicídio no País.

Ela tem o objetivo de chamar a atenção para incidência crescente de suicídio no Brasil. Para você ter uma ideia, são registrados cerca de 14 mil casos todos os anos, mais de 1 a cada hora.

E muitos destes estão relacionados a transtornos mentais, em especial à depressão. Mas apesar desse dado chocante, 90% dos casos podem ser evitados.

Assim, você poderá auxiliar seus colegas, familiares ou alguém próximo, no intuito de promover o primeiro acolhimento, para que a pessoa possa ter a ajuda que necessita.

Quer saber que sinais são esses e a forma de ajudar a pessoa? Então continue comigo até o final desse texto.

Muitas pessoas sofrem por saberem que não estão doentes e não têm a quem recorrer. E muitas vezes esses pedidos de ajuda são interpretados como tentativas de chamar a atenção ou são minimizados.

Ao percebermos os sinais de alerta, devemos ficar atentos ao comportamento das pessoas.

Além disso, temos a oportunidade de nos aproximar, abrir o caminho do diálogo, sem julgamentos, e encaminhar a pessoa para atendimento profissional.

Lembrando que esse fenômeno é causado por uma série de fatores combinados, por exemplo, um histórico de tentativas e a existência de transtorno mental.

Assim como, o uso de drogas, principalmente o álcool, provoca um aumento da impulsividade e o risco de suicídio.

Então, vou destacar abaixo, alguns tipos de comportamentos que merecem a sua atenção:

a) Tristeza excessiva;

b) Comportamentos irresponsáveis e perigosos;

c) Falta de interesse pelo próprio bem-estar;

d) A pessoa já tentou se suicidar ou fala muito sobre o desejo de morrer;

e) Tem o hábito de se machucar e se cortar com frequência;

f) Sofre de oscilação de humor;

g) Posta muito nas redes sociais sobre suicídio;

h) Afasta-se da família e dos amigos;

i) Piora o seu desempenho no trabalho;

j) Perde o interesse em atividades de que gostava;

k) Faz comentários autodepreciativos e é pessimista;

l) Comenta constantemente que é um fardo para os outros;

m) Dorme pouco, está sempre ansioso, agitado ou com raiva;

n) Sente culpa o tempo inteiro ou vergonha;

o) Relata a sensação de vazio e desesperança, e fala que não tem mais razão de viver.

Nesses casos, sua observação, caro leitor, é de fundamental importância para identificar os sinais e dar o apoio emocional a quem precisa, além de orientar a pessoa a buscar ajuda.

Não tenha receio de perguntar ao seu amigo ou a pessoa que se encontra deprimida, se já chegou a pensar em se matar, de uma forma que seja delicada e livre de julgamentos.

Quando conhecemos os fatores de riscos para o suicídio, é possível reconhecermos no comportamento da pessoa e buscarmos ajuda profissional.

Mas veja bem, não basta somente aconselhar a busca de um profissional, pois muitas vezes quem sofre e pensa em suicídio não tem mais forças.

Ofereça-se para ser o suporte dessa pessoa, no sentido de se colocar à disposição, quando ela necessitar, independentemente de dia e hora. Tente ficar mais próximo dela, assim gera-se mais confiança.

Ajude-a, se for o caso, acompanhando-a até um especialista. Levante na sua região os locais que podem oferecer um auxílio emergencial com antecedência e tenha em mãos.

É possível que exista na sua cidade, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) para que você busque auxílio.

Nós temos também o CVV (Centro de Valorização da Vida) que funciona 24 horas por dia, em todo Brasil, inclusive em feriados, para orientação e acolhimento gratuito, ligando 188.

Agora, se você se reconheceu com alguns desses sinais, não se sinta culpado, julgado ou envergonhado por não estar bem.

Encontre a paz e a felicidade acalmando sua mente. Existem inúmeras possibilidades, independentemente do problema que esteja vivendo. Pode acreditar!

Seja, também, o seu próprio Guardião. O primeiro passo é reconhecer quando necessita de ajuda, e, em seguida, procurar com urgência um profissional.

Não tente lidar com esse sentimento sozinho.

Lembre-se: a sua vida é muito importante, independentemente das suas crenças, cor, gênero, religião… inclusive, para a sua família e pessoas que fazem parte do seu ciclo de convivência.

Tenha certeza disso!

Que a prevenção ao suicídio seja cada vez mais expandida e ampliada, assim evitamos a posvenção, que é o suporte e assistência para aqueles impactados por um suicídio.

Afinal, o luto corrói ao ponto de nos perguntarmos: “quem mata quem, quando acontece um suicídio?”

E se você achou útil esse texto, então peço a gentileza de compartilhá-lo, pois existem muitas pessoas que desconhecem os sinais e como agir em casos assim.

Juntos, somos mais fortes.



DADOS IMPORTANTES:


Telefone do CVV (Centro de Valorização da Vida) no Brasil: 188



Em Brasília – DF, o CVV atende no SRTVN, quadra 702, bloco P, sobreloja 05, Ed. Brasília Rádio Center – Asa Norte. Também pelos números: 188 ou (61) 33264111, todos os dias, 24 horas.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page